Ocorreu um erro neste gadget

Fish

Ocorreu um erro neste gadget

Dentro de nossos objetivos, o que você gostaria que seja desenvolvido mais em"MARABÔ"?

Loading...
Ocorreu um erro neste gadget

Pesquisar este blog

Carregando...

A CASA DO APRENDIZ

"MARABÔ" Centro de Cultura, Documentação, Pesquisa e Estudos das Ciências Esotéricas.

"MARABÔ" Centro de Cultura, Documentação, Pesquisa e Estudos das Ciências Esotéricas, mantém encontros periódicos para o treinamento, exercícios, troca de experiências, comemoração dos Sabbáths e Esbbáths, além de trabalhar juntos em outros rituais. A disciplina é essencial na formação de uma consciência mágica comum ao grupo e de uma Egrégora (que é, para simplificar, a força mágica do grupo e sua repercussão no Astral). "MARABÔ" Centro de Cultura, Documentação, Pesquisa e Estudos das Ciências Esotéricas tem seu próprio símbolo e nome, suas regras, suas características, seu método de estudo e "carisma mágico próprio". "MARABÔ" Centro de Cultura, Documentação, Pesquisa e Estudos das Ciências Esotéricas pode e deve trocar influências, porém sempre respeitando a individualidade de cada membro. Mais que tudo,"MARABÔ" Centro de Cultura, Documentação, Pesquisa e Estudos das Ciências Esotéricas é um organismo vivo, pulsante, que responde segundo seus membros. Se alguém está doente, mal-intencionado, desequilibrado, angustiado, isso tudo se reflete no desempenho do grupo, nos resultados dos rituais. Por outro lado se há alguém extremamente bem, feliz, disposto, energizado, isso também é dividido com os membros que sentem a energia desta Comunhão com "O ABSOLUTO". "MARABÔ" é o Local para o Culto a Sabedoria, ao Conhecimento, das Diversas Culturas Étnicas e Correntes Filosóficas, a Teosofia, a kaabalah, entre outras, Ciências Esotércas. "MARABÔ" dá início à caminhada espiritual. Indica sempre que algo novo está a começar. Tem uma mesa à sua frente, onde se podem ver quatro objetos simbólicos: uma taça, um punhal, um pergaminho e uma moeda, que pode ter a imagem do pentagrama. Parece que precisa de ajuda superior para tomar uma decisão e por isso ergue um pequeno bastão para o alto, captando energia e dirigindo-a para baixo, com a outra mão. É como se ele fosse o elo entre as energias divinas e o mundo material, mas precisa de ajuda porque ainda é um aprendiz. O punhal é o simbolo da luta, da energia sexual, do poder e da vitória. A moeda é o simbolo do mundo material, dos bens e do dinheiro. O pergaminho é a inteligência, o estudo, a espiritualidade. A taça, por sua vez, simboliza as emoções, o amor, o coração, a sensibilidade. O bastão é o simbolo da vontade e da sabedoria. Na caminhada espiritual, o "MARABÔ" representa o ponto de partida e a necessidade de fazer uma canalização de vibrações superiores para poder realizar uma evolução. "MARABÔ" representa o poder da mente em direcionar um projeto com maestria, concentrando esforços e inteligência para um determinado fim. Representa também a concentração sem esforço, pois trabalha e cria com naturalidade e espontaneidade. Pode representar ainda como uma necessidade de tomar uma iniciativa imediatamente, de ousar mais. Realização, perseverança, conquista. "MARABÔ" gosta de planejar, colocar em prática seus mais audaciosas planos, depois os controla e comanda pessoas para as suas conquistas materiais. Com "MARABÔ", temos a certeza de possuir condições para concretizarmos tudo o que queremos, pois temos as condições materiais, estruturais e financeira para a concretização. Além do mais, este período será de segurança e estabilidade com isso nos proporcionando uma satisfação interior muito grande. "MARABÔ" é o Avanço, progresso, início de algo novo. "MARABÔ" simboliza a vitória, direção, controle, esforço, confiança, o caminho. Com o "MARABÔ" há progresso, há projetos em andamento. Simboliza a ação, que se toma a seguir a uma decisão. Aquilo que foi resolvido está a ser executado, é a realização de projetos. A pessoa deve ter força e liderança suficientes para evitar que um anule o outro. Deve ter controle firme para manter o equilíbrio. Na caminhada espiritual,o"MARABÔ" representa o momento em que o viajante passou pela encruzilhada, tomou um rumo firme e está determinado a cumprir mais etapas evolutivas. Olha para o horizonte, sem qualquer expressão. Não há sensualidade, nem agressividade. Parece calma, equilibrado, limpa, ordenada. "MARABÔ" é o equilíbrio, processos judiciais (julgamento), leis, limites. Ele traz o equilíbrio, a isenção, a análise do passado. "MARABÔ" cumpre um papel, representa uma instituição. Também simboliza a colheita - "Cada um colhe aquilo que plantou". "MARABÔ" simboliza o plano material e o plano emocional, ou seja, os dois devem estar equilibrados, Ele representa a punição que pode distribuir a quem a merece. Na caminhada espiritual, "MARABÔ" representa um momento de equilíbrio, no qual se recebem as recompensas (ou punições) materiais e emocionais pelo caminho já percorrido. É inevitável, o Refletir sempre antes de tomar decisões, pois devem ser justas. Muitas vezes ele também simboliza o isolamento, restrição, afastamento. Algumas vezes "MARABÔ" isola-se para descobrir o conhecimento que o rodeia, na natureza, por exemplo, e também para se autoconhecer. O aspecto fundamental é que necessita de cortar os laços (temporariamente ou não) com a sociedade que o rodeia. "MARABÔ" é Fiel a si mesmo e sabedoria, representa o conhecimento da ciência oculta. Ele sé a prudência, que o acompanha em sua busca de orientar melhor, mostrando a luz da inteligência e da sabedoria, (a luz da verdade). Significa também que a luz atinge o passado, o presente e o futuro. E Nele existe austeridade. Ele segue sua viagem através do tempo com a sabedoria. "MARABÔ" se refere à acumulação de conhecimentos e está disposto a ouvir e ajudar os que o procuram. Representa o valor do conhecimento adquirido à custa de trabalho ininterrupto, que apenas mentes privilegiadas conseguem desenvolver."MARABÔ" está relacionado ao elemento terra, portanto à vida material, às conquistas financeiras, profissionais e a tudo que, enfim, representa aquilo que pode ser tangível em termos materiais, para ele a possibilidade de se conseguir conquistar a segurança material com trabalho, disciplina e esforço. O ser humano é ambicioso e a ambição tem relação como o naipe de ouros. "MARABÔ" é representa a dedicação, o esforço, o empenho dedicados aos estudos e ao trabalho; ligado ao elemento ar e está relacionado ao poder ambivalente da mente e do pensamento; ligado ao elemento água e ao mundo dos sentimentos, sendo o símbolo da taça relacionado ao coração, como receptáculo das nossas emoções. Ele corresponde ao elemento fogo que a tudo transforma sem ser alterado. Está ligado ao fazer e à criatividade.

DANÇA DO VENTRE

http://www.youtube.com/watch?v=Ny8cnoruN7Y

segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

HISTÓRIA DA VIDA DOS CIGANOS


História da vida do Cigano Pablo

Vivi nesta terra a muito e muito tempo atrás. Quando vivo, chefiava uma tribo de ciganos que na maior parte do tempo acampava pelas terras de Andaluza, como em minha tribo as tradições eram passadas de geração para geração e de pai para filho, herdei a chefia da tribo ainda jovem de meu pai.


Aprendi tudo que era necessário aprender com os antigos da tribo, que para nós ciganos, são as pessoas mais sábias sobre a face da terra.


Durante o tempo em que chefiei a tribo sempre recorri a eles em busca de sabedoria para solucionar problemas ou quando tinha dúvidas ou quando necessitava tomar qualquer decisão que fosse de maior responsabilidade, nunca gostei de tomar qualquer decisão, sem antes consultar a sabedoria dos antigos.


Quando nasci, fui prometido como todos os ciganos a filha de um dos ciganos da tribo, crescemos juntos e aprendemos a gostar um do outro e assim foi até atingirmos a idade necessária para contrairmos o matrimonio, enquanto isso aprendi com os antigos, todos os truques e todas as magias ciganas.


Tornei-me um grande conhecedor de magias e adquiri um pouco da sabedoria dos antigos. Chegada à época das núpcias, casamo-nos aos quinze anos de idade, aprendemos juntos como liderar a nossa tribo. Tivemos três filhos machos. Segundo a tradição todos foram prometidos e assim seguimos nossos caminhos, com muita alegria e muita fartura. Trabalhávamos arduamente cada um em seu oficio em prol da coletividade.


Com os filhos crescendo e a nossa felicidade a largos passos, começaram os problemas, o meu primogênito, ao qual cabia substitui-me na liderança da tribo, resolveu rebelar-se contra a nossa tradição, não querendo aceitar o acordo de núpcias feito entre nossa família e a de sua prometida, assim causando um conflito na tribo, como se não bastasse, resolveu envolver-se com outras moças da tribo, causando o desagrado de todos os homens que já se estavam como ele prometidos a essas moças, até que seus atos o levaram a um conflito direto com um dos jovens da aldeia, e pelas leis da tribo, levaram a um duelo pela honra.




Eu já sabia de antemão como terminaria esse duelo, pois, com a sua revolta, o meu filho não quis aprender comigo a arte de duelar, com isso encontrava-se despreparado para o duelo. Vendo-me com grande dor no coração por saber-me impotente em relação ao fato de também se fazer cumprir a lei da tribo (essa lei nunca havia sido utilizada na tribo).


Tornei-me introspectivo e voltei-me para os antigos em busca de consolo. Sabendo os antigos pelo grande amor que nutria por meu primogênito, mostraram-me que havia uma maneira não muito ortodoxa de poupar o meu filho da morte certa, porem, sendo um bom lutador e tendo o conhecimento da magia do duelo, sabia também que não deveria vencer o jovem. Assumi o lugar de meu filho (deveria morrer em seu lugar).



E assim fiz, desencarnei nas mãos de um jovem cigano irado com o fato de meu filho ter desonrado a sua prometida. Deixei em desgraça uma jovem mulher e três filhos rezando a Santa Sara para que cuidasse de todos. Durante o tempo que me foi permitido velar por minha tribo e minha família, fiquei ao lado de todos tentando colocar algum juízo na cabeça de meu filho, esperando que depois do fato acontecido ele resolvesse aceitar o seu destino, mesmo depois de tudo o que fiz, esse meu filho ainda se rebelou com o que fiz, continuou em sua busca de algo que nem ele sabia o que era.



Nessa sua busca desse algo, foi levando em seus passos o meu segundo filho, que sem o pai, estava completamente envolvido pelo irmão mais velho, tentei de todas as maneiras que pude e me foi permitido, influenciar ao primogênito o sentido de dever, não conseguindo meu intento e vendo que o meu tempo estava se escoando, fiz o que qualquer pai amoroso faria, mudei o meu objetivo para o segundo filho, que com mais jeito que o mais velho aceitou tudo o que eu pude passar para ele.


Descobri então que com o segundo filho, tudo era mais fácil, pois, este já trazia de berço todos os dons que me foram passados por gerações, então investi neste, sempre com o intuito de regenerar o mais velho, indicando ao mais novo o caminho dos antigos, fiz com que este filho conseguisse com o seu carinho trazer o mais velho de volta, pois o segundo filho mostrou-se mais sábio que o pai e abrindo os olhos do primeiro filho o trouxe para o seio da tribo.



Depois de regenerado o meu primeiro filho retomou o seu lugar na tribo, ocupou o meu lugar, o qual o meu segundo filho controlou com muita sabedoria, ate a volta do irmão. Ai eu pude seguir o meu caminho no astral ate o dia em que pude tornar a encontrar a minha amada, e voltar a montar a minha tribo no astral.
Postado por Véra Lúcia às 18:18 1 comentários
sábado, 17 de outubro de 2009
DIFERENÇA ENTRE CIGANAS E POMBA-GIRAS:



DIFERENÇAS ENTRE CIGANAS E POMBAS GIRAS CIGANAS
A linha dos ciganos é uma linha independente que não trabalha apenas na Umbanda.
Tem uma vibração muito próxima à Linha do Oriente, podendo trabalhar como uma Falange dessa linha.
Ou como uma Linha independente, com suas próprias falanges, dependendo da raiz (origem) dos espíritos.
As entidades ciganas costumam ter muitas experiências encarnatórias como ciganas, com tradição e conhecimento de seu povo.
Enquanto que as pombas Giras Ciganas podem ter sido ciganas, que optaram pelo trabalho de pombas Giras ou Pombas Giras que tiveram acesso ao conhecimento e à magia própria dos ciganos sem contudo terem ligação de raiz com o povo cigano.
Suas manifestações, seja através da vibração ou da incorporação propriamente dita, são de muita alegria e alto astral, deixando em seus médiuns uma sensação reconfortante.
Em suas consultas, usam elementos dos povos ciganos, como: frutas, incensos, flores do campo, rosas coloridas, velas coloridas, ervas, especiarias, cristais baralhos ciganos, runas, moedas etc.
Suas roupas podem ser de diversas cores e costumam ser bastante enfeitadas.
As Pombas Giras Ciganas são entidades que realizam um trabalho mais denso, e por isso mesmo, teem a vibração mais forte que as Ciganas.
Efetivamente são Pombas Giras, com algumas características Ciganas, trabalham mais a magia, os oráculos, as revelações, os encantamentos de amor etc.
Essas entidades são especialistas nas artes do amor, exemplo disso é a famosa Pomba Gira Cigana Das Sete Saias.
Existem evidentes diferenças nas incorporações, comportamento, elementos de trabalho, tipo de consulta e aconselhamento, roupas, danças ente outros, entre as Ciganas e as Pombas Giras Ciganas.
Entre as diferenças das duas entidades, destaca-se a sensualidade: as Pombas Giras Ciganas apresentam-se em geral mais sensuais que as Ciganas e as Pombas Giras Guardiãs.
Raramente uma entidade Cigana mostra-se densa, autoritária ou de mal humor.
Os ciganos também costumam se apresentar bem mais alegres, calorosos amorosos e sedutores que os Exús, mas isso em nada diminui seu fascínio poder de fogo, são conhecedores da alta magia e principalmente da alma humana, e seus trabalhos são muito eficientes.
Postado por Véra Lúcia às 09:30 0 comentários
CIGANO ARTÊMIO...

CIGANO ARTEMIO
É misterioso, poucos sabem sobre sua passagem na Terra.

Trabalha com um punhal, uma turmalina-verde, um espelho, um maracujá pequeno, um tacho de cobre, uma moeda antiga, folha de sândalo, folha de tabaco, muitas fitas coloridas e um lenço de quatro cores, verde-claro, verde-escuro, verde-água, e verde-folha, com uma estrela de seis pontas dourada no meio, com que cobre o tacho.

É com isso que ele faz suas magias, faz amarração e desamarra casos difíceis.

Quando termina o trabalho, manda colocar tudo isso no mato fechado

Salve esse cigano.

Que Bela-Karrano lhe dê permissão para fazer mais e mais suas magias

Alexdeoxossi


-----------------------


Cigano Artêmio

Cigano da origem egípcia e protege os que trabalham com oráculos em geral, impedido que esses ledores de sina se deixem abater pela inveja, ingratidão e pelo desgaste de energia, faz imantações de objetos devocíonais.

Gosta de ouvir boas musicas e conversar .

Gosta de fazer seu jogo no chão e prendiz futuro com seu maravilhoso tarô, por vez sério, por vez rindo.


SUA PRINCIPAL MAGIA
É ler as cartas de seu tarô a vida dos seus clientes.

Por ser orador nato, Artémio trás inúmeras mensagens para as pessoas.

Como andou pelo mundo, conhece vários tipos de magias, que ensinam os que podem aprender.

Conhecido pelo nome de Cigano dos Chapéus, por utilizar vários tipos deles , e nunca aparece com a cabeça descoberta por respeito a Santa Sara.
Postado por Véra Lúcia às 09:27 0 comentários
CIGANO TIAGO

CIGANO TIAGO
Tiago era umcigano sábio pertencente a caravana da luz de Wlanasha e Wladimir, os guardando dos males do mundo.

Realiza seu trabalho auxiliando-nos encarnados e desencarnados na busca da sabedoria, estabilidade e na firmeza das ações.

Vitaliza na essência de cada um a perseverança das nossas provações, direcionando-nos no sentimento da fé.

Quando quiser conversar com ele acenda uma vela amarela e um incenso de rosas amarelas.

Juntamente com um copo de água se estiver passando por chateações.

Cigana Miroan é sua companheira desde muitas vidas.

Ela cuida da família, dos sentimentos, da saúde e do amor incondicional.

Trabalha assim com velas de cor rosa.
Postado por Véra Lúcia às 09:24 0 comentários
TRABALHO COM ESPÍRITOS CIGANOS

Trabalho com Espíritos Ciganos



As oferendas e os feitiços relacionados aos espíritos ciganos misturam o estilo da magia européia com alguns elementos da magia de origem africana.

Assim, predominam as oferendas e simpatias colocadas em lugares exteriores, os banhos aromáticos, os ingredientes nacionais (frutas, pimentas, cereais, feijões e especiarias de uso comum) os potes de barro, mas também são usadas poções, velas, defumações, cristais, moedas, pregos, etc… de origem européia.

Segundo alguns autores, o trabalho com os espíritos pode ser resumido em algumas práticas básicas.

1) Aproximação: O espírito não é assentado, como os orixás e os exus, ele não pode ser obrigado a fazer nada, pois é um conselheiro, um guia superior. Ele se aproxima da pessoa e incorpora espontaneamente, ou dá intuições sem incorporar.

2) Oferendas: As oferendas para os espíritos ciganos incluem frutas, flores, pão, bebidas (vinho ou água), adornos (coloridos e brilhantes), velas, defumadores. Os espíritos ciganos nunca recebem sacrifício de animais. O melhor dia para entregar oferendas para os espíritos ciganos é o domingo, ao meio-dia, seu local preferido é junto a uma árvore na mata ou em um jardim.

3) Trabalho: O trabalho básico dos espíritos ciganos é a adivinhação. A técnica mais comum é a cartomancia, mas podem ser usadas a bola de cristal, a leitura de mãos e outras técnicas menos comuns (geralmente próprias de um determinado espírito). A partir do que seja visto na adivinhação, o espírito cigano pode realizar feitiços para corrigir o problema encontrado.

4) Cores: Os espíritos ciganos gostam de cores vivas e brilhantes. No ritual com espíritos ciganos, nunca é usada a cor preta: nem em roupas, nem em velas, fitas ou outro material qualquer.

5) Altar: Quem trabalha com um espírito cigano, é devoto de um deles ou deseja sua proteção, pode armar em casa um pequeno espaço devocional: sobre um móvel, ou mesmo sobre uma prateleira, é colocada uma boneca cigana, imagem ou mesmo um quadro com a cigana(o) de sua devoção que deve ser consagrado através de um ritual especial. A pessoa coloca junto à imagem suas oferendas (velas, água, cristais, pote da prosperidade etc…) e, quando quer fazer um pedido ou feitiço, coloca aí o material do encantamento, antes de despachá-lo. Os ciganos costumam ter, nesse altar, as imagens dos santos de sua devoção, entre os quais é obrigatória Santa Sara.


Alguns Espíritos Ciganos

As pessoas que trabalham com espíritos ciganos sabem descrever em detalhes as características de muitos deles.

A lista a seguir é um resumo de informações encontradas em livros, se alguém encontrar alguma diferença entre esses dados e sua experiência pessoal, leve em conta que essas variações podem ocorrer quando se trata da manifestação de entidades do mundo espiritual.

Note também que esta lista nem de longe esgota o total de espíritos ciganos, conhecidos por seus devotos.

CARMENCITA – cabelos e olhos pretos; Cor: coral; Perfume: patchuli; Objetos: moedas, lua; Poder de magia: amor, união.

ESMERALDA – cabelos louros, olhos verdes; Cor: verde-claro; Perfume: sândalo; Objetos: tiara com moedas, pedras verdes, signo - salomão; Poder de magia: dinheiro.

IAGO – jovem, moreno; Cor: violeta; Perfume: violeta; Objetos: moedas, cristal lilás; Poder de magia: Cura.

MADALENA – cabelos e olhos pretos; Cor: multicor, predominando cor-de-rosa; Perfume: alfazema; Objetos: moedas presas na roupa, pulseira com talismã; Poder de magia: amor, união.

PABLO – cabelos e olhos pretos; Cor: vermelho; Perfume: Floral; Objetos: cordão com moeda, chapéu preto; Poder de magia: negócios.

PALOMA – cabelos e olhos pretos; Cor: multicor, predominando amarelo; Perfume: verbena; Objetos: punhal, cristal vermelho; Poder de magia: proteção.

RAMUR – cabelos e olhos pretos; Cor: vermelho; Perfume: floral; Objetos: ferradura, ferro; Poder de magia: proteção, segurança.

SALAMANDRA – ruiva; Cor: vermelho; Perfume: flores do campo; Objeto: fogueira; Poder de magia:limpeza, cortar feitiço.

SANDRO – cabelos e olhos pretos; Cor: verde; Perfume: benjoin; Objeto: punhal, moedas; Poder de magia: prosperidade.

SULAMITA – cabelos e olhos pretos; Cor: azul e amarelo; Perfume: Verbena; Objetos: cristal, folhas de árvores frutíferas; Poder de magia: união, proteção.

WLADIMIR – usa cavanhaque, jovem; Cor: azul-claro; Perfume: âmbar; Objetos: lenço no cabelo, argola na orelha, cordão com signo-salomão e sol; Poder de magia: união.

ZAÍRA – cabelos e olhos pretos, casada; Cor: azul-claro; Perfume: Acácia; Objetos: jóias prateadas; Poder de magia: amor.
Postado por Véra Lúcia às 09:23 0 comentários
OFERENDAS PARA CIGANOS E CIGANAS

OFERENDAS PARA CIGANAS E CIGANOS



AS OFERENDAS PARA AS CIGANAS DEVEM SER FEITAS E ENTREGUES COM O
MAIOR CAPRICHO POSSÍVEL.




NÃO PRECISAM SER CARAS, MAS DEVEM SER BONITAS.



AS CORES E O MATERIAL USADO VARIAM MUITO, DEPENDENDO DA ENTIDADE E O DO OBJETIVO DO TRABALHO.



NAS OFERENDAS EM GERAL, COSTUMA-SE FORRAR O LOCAL AONDE SERÁ
ASSENTADA OU ENTREGUE COM UM PEDAÇO DE TECIDO, FOLHAS DE
VEGETAIS OU FOLHAS DE PAPEL DE SEDA.



ALGUNS MATERIAIS USADOS EM OFERENDAS PARA DIVERSOS FINS
FRUTAS DIVERSAS ROSAS OU FLORES DO CAMPO PLANTAS E


ERVAS ESPECIARIAS (CRAVO, CANELA, COMINHO, LOURO, NOZ MOSCADA ETC)
DOCES (QUINDIM, MANJAR, COMPOTAS)


PÃES CASEIROS
BOLOS COM ESPECIARIAS (NOZES, CASTANHA, AÇÚCAR MASCAVO)
CEREAIS (LENTILHA, GRÃO DE BICO, ARROZ) cozidos.
MEL
VELAS (VARIANDO A COR E A FORMA)
INCENSOS
MOEDAS
CRISTAIS (PEDRAS)
VINHO TINTO OU BRANCO
PONCHE DE FRUTAS
SUCO DE FRUTAS
CHÁS AROMÁTICOS
ÁGUA MINERAL
ADORNOS FEMININOS (PULSEIRAS, BRINCOS E COLARES)
LEQUES
CASTANHOLAS
XALES
VÉUS
LENÇOS DE CABEÇA, SE POSSÍVEL ENFEITADO COM MOEDAS
PERFUMES
BARALHOS CIGANOS
IMAGENS CIGANAS
CIGARRILHAS - CIGARROS OU CHARUTOS
FUMO
FITAS COLORIDAS





PÓS DE MAGIA E DEFUMADORES



* * INGREDIENTES ESPECÍFICOS PEDIDOS PELA ENTIDADE.**



NATURALMENTE QUE NÃO SERÃO UTILIZADOS TODOS ESSES MATERIAIS
AO MESMO TEMPO, NA MESMA OFERENDA.



MESMO PORQUE, CADA TIPO DE TRABALHO USA INGREDIENTES
ESPECÍFICOS.



AS OFERENDAS PODEM SER DE *SOLICITAÇÕES OU *AGRADECIMENTOS.



AS OFERENDAS DE SOLICITAÇÕES PODEM SER PARA AMOR, SAÚDE, PROSPERIDADE, HARMONIA ENTRE PESSOAS, ABANDONO DE VÍCIOS, ESTUDOS, VIAGENS, PROTEÇÃO, ABERTURA DE CAMINHOS EM
GERAL.



AS OFERENDAS DE AGRADECIMENTO, COMO JÁ DIZ O NOME, SÃO FEITAS
EM RETRIBUIÇÃO A UMA GRAÇA.



NENHUMA ENTIDADE É OBRIGADA A ATENDER PEDIDOS E CONCEDER
FAVORES E BENEFÍCIOS QUE NÃO TEMOS O MERECIMENTO DE RECEBER.



MESMO QUE TENHAMOS O MÉRITO PARA TAL, EM ALGUNS CASOS, O
MOMENTO NÃO É ADEQUADO.



SE VOCÊ QUER OFERECER UM AGRADO AOS AMIGOS ESPIRITUAIS CIGANOS,
OFERTE FLORES, VELAS E FRUTAS PARA AS CIGANAS.




E CRAVOS, VELAS E FRUTAS PARA OS CIGANOS.



NÃO PRECISA GASTAR MUITO, OFEREÇA UMA LINDA MAÇÃ, UMA VELA
BRANCA (PODE SER AMARELA PARA PROSPERIDADE, VERDE PARA SAÚDE,
ROSA PARA O AMOR, AZUL PARA HARMONIA)



UMA ROSA ( AS CORES TÊM A MESMA FUNÇÃO DAS CORES DAS VELAS)
UMA EMBALAGEM DE 500 ML DE ÁGUA MINERAL (ABRA E COLOQUE NUM COPO)



E O RESTANTE DERRAME EM VOLTA DA OFERENDA.



NÃO ESQUEÇA DE ACENDER A VELA.




A ROSA DEVE SER ABERTA, NÃO OFEREÇA ROSAS EM BOTÃO.

ALGUNS INGREDIENTES DEVEM SER OFERTADOS EM ENORME QUANTIDADE,
* AMOR *FÉ *RESPEITO *CONFIANÇA.



FAÇA SEU PEDIDO COM MUITA ENERGIA.


(NÃO FAÇA PEDIDOS DE AMARRAÇÃO PARA CIGANOS - PEÇA AMOR E NÃO UMA PESSOA ESPECÍFICA).



ENTREGUE NUM JARDIM OU PRAÇA, PREFERENCIALMENTE ANTES DE
ANOITECER.



NUNCA ENTREGUE AS OFERENDAS PARA CIGANOS EM ENCRUZILHADAS OU CEMITÉRIOS.




NUNCA PEÇA O MAL PARA NINGUÉM, MESMO QUE ACHE JUSTO.




CIGANOS NÃO TRABALHAM NESSA VIBRAÇÃO.
Postado por Véra Lúcia às 09:19 0 comentários
A CIGANA DE VERMELHO...

A Cigana de Vermelho
Ela é uma cigana de vestido rodado.

Parece jovem quando o olhar passeia vago sem deter-se em detalhes.

Parece alegre, parece rir meio de tudo e de chorar quando as coisas não tem a menor importância.

Quando as coisas são grandes e querem provocar melancolia, ela dança, porque o corpo concentrado e largado no ritmo exorciza as dores - pelo menos foi o que me disse.
Nem pensei em duvidar.

Conversamos sobre muitas coisas sempre que eu tenho tempo para uma visita.

Dentre as coisas que gosta, além da música que é sua alma, estão os cremes, perfumes e rendados xales que ela possa carregar.

Nada com peso.

E quando conta isso, me olha desdenhosa e francamente como a me dizer que preciso aprender a viver sem os pesos que carrego.

Ela também me disse que sua cor favorita é vermelha.

Perguntei se não é um pouco vulgar depois de uma certa idade - ela tem aquele semblante indecifrável de quem tem muitos anos.

Mas ela riu - aquele riso sem juízo de quem ainda é criança: vermelho só é vulgar se ele não faz parte de você, se ele não te define, senão é como uma segunda pele, me respondeu.

Não ousei contestar.

Eu a vi dançando, rodando as saias (imaginei que eram sete) do vestido, olhar penetrante, atirando a cabeça prá trás desafiando uma platéia imaginária.

Nessa tarde fria e opaca, a sensualidade cigana que habita essa mulher iluminou o dia, e a sensação de calor tomou conta da sala que pegamos emprestada para nosso encontro marcado.

Ela se transformava enquanto girava e parecia ainda mais livre. Como se isso fosse possível.

Ela me disse que mora na rua, assim mesmo, sem eira nem beira, porque paredes e tetos são prisões dissimuladas.

Que muda de lá pra cá e de cá pra lá porque arrancar raízes é dolorido na hora de partir e "as partidas, você sabe, são inevitáveis", confidenciou quase num sussurro.

Que tem medo do amor porque ele aprisiona mais que as paredes e os tetos e liberta mais do que as ruas - e quem pode viver num inferno desses - perguntou.

Mas não esperou pela minha resposta e foi logo dizendo que não tem um nome porque, se fosse assim, seria uma e ela sabe que é um pouco de cada mulher e que cada mulher aspira um pouco dela.

Chamo-a de cigana, simplesmente, e ela, naturalmente, responde.

Um dia pedi que lesse minha mão.

Ela se ofendeu.

Com que covardia eu esperava que ela tivesse as respostas para minhas perguntas?

Com que comodidade eu queria que ela me dissesse que tudo estava definido, determinado e que o destino era um deus?

Tem uma agressividade nela que me instiga a conhecê-la melhor ao mesmo tempo que ela destila suavidade.

Perguntei de onde ela vinha, já que dava a entender que nem sempre sabia para onde ia.

E quando ela me respondeu "Madrid", percebi que não era só uma cigana.

Ainda que sem endereço, sem rumo e sem nome, ela é espanhola, flamenca e castanholas.

Crônica de Claudia Letti
Postado por Véra Lúcia às 09:17 0 comentários
CIGANA AMETISTA

Cigana Ametista


Cigana Ametista

É a cigana Ametista que chega,Inebriando com seu aroma de jasmim.
Baila em sensuais gestos sutis.
Ela encanta com seu pandeiro, saia rodada, adereços de princesa.
Seu olhar de topázio atravessa nuvens, tempos e temporais.
Ametista é cigana cobiçada, amada e invejada.
No coração esconde um segredo...
Nos olhos releva paixão!
Postado por Véra Lúcia às 09:14 0 comentários
CIGANA DAMIRA

Cigana Damira
Conta a tradição que, certa vez, uma cigana sentada em uma grande almofada colorida, no interior de sua tenda, quando em sua frente formou-se um clarão azul-celeste.

Deste clarão, surgiu a imagem de uma linda mulher, sem características de cigana, mas parecendo uma daquelas deusas da mitologia grega.

A mulher usava uma longa túnica e um véu que cobria seu nariz e sua boca, deixando descoberto somente seus grandes olhos negros.

A linda mulher começou a falar com a cigana, usando um dialeto que ela desconhecia, mas que sua mente captava e transformava em uma mensagem:

“A partir de agora, cigana, você usará pedras em suas magias. Bem perto daqui, existe uma gruta repleta de pedras. Vá até lá e apanhe muitas pedras coloridas”.

Em seguida, o clarão se desfez, levando consigo a imagem da mulher.

A cigana ficou muito assustada com tudo que acontecera, principalmente porque pedras não faziam parte dos rituais de seu povo.

Levantou-se e foi caminhar pelos montes, onde existia uma cachoeira.

De repente, observou que havia uma grande abertura nas rochas da cachoeira, e lembrou da mensagem que ouvira.

Caminhou até a rocha, passou pela grande abertura e avistou uma gruta com muitas pedras, todas cheias de pontas e das mais variadas cores.

Até parecia que um arco-íris estava ali, dentro da gruta.

A cigana voltou ao acampamento, apanhou uma candeia para clarear a gruta, que era um pouco escura, e uma ferramenta com que pudesse bater nas pedras e quebrá-las em pequenos pedaços; e foi para a gruta na cachoeira.

Algum tempo mais tarde, saiu da gruta e voltou para o acampamento levando muitas pedras pontiagudas de várias cores; espalho-as no tapete de sua tenda e começou a admirá-las.

As pedras transmitiam uma luz e uma força que a cigana desconhecia.

Nesse momento, apareceu o mesmo clarão com a imagem da linda mulher, e a mente da cigana captou uma nova mensagem:

“Essa será sua nova magia. A magia das pedras e dos cristais. Eu lhe darei a força da Atlântida e você será a primeira mensageira dos cristais do planeta Terra. Com os cristais, você e seu povo farão mentalizações para todas finalidades: curar doenças, atrair sorte e prosperidade no amor e nos negócios, afastar negatividade e muito mais.”

Em seguida o clarão azul e a linda mulher desapareceram.


Texto de A na da Cigana Natasha
Postado por Véra Lúcia às 09:12 0 comentários
CIGANA NISSA

Cigana Nissa


Nissa, a espanhola, era morena queimada de sol, de olhos esverdeados e cabelos castanhos.
Essa cigana foi, e continuará sempre sendo, muito religiosa.

Seus adereços


Usava na cabeça um lenço vermelho.
Nas orelhas trazia argolas de ouro; no pescoço, cordões de pedras coloridas; e, no dedo anelar da mão esquerda, uma grossa aliança em ouro.
Sua magia

Essa cigana gostava muito de flores-do-campo, principalmente as de cor vermelha.
Ela não dispensava um saquinho dourado, no qual trazia suas cartas de símbolos antigos e uma pedra de quartzo azul, com que fazia magia.
Hoje ela é um espírito de muita luz, sua mensagem quando chega à Terra é esta:
“Deus Nosso Senhor é o miolo do mundo e nós, espíritos, somos apenas um mensageiro aqui na Terra. Sem sua permissão nós não somos nada.”

A fase da Lua de sua preferência era a cheia.

Texto do livro Ciganos do passado, espíritos do presente
Postado por Véra Lúcia às 09:10 0 comentários
CIGANA ROSA DOS VENTOS

Cigana Rosa dos Ventos
Não foi por acaso que o meu sangue que veio do Sul se cruzou com o meu sangue que veio do Norte.

Não foi por acaso que o meu sangue que veio do Oriente se cruzou com o meu sangue que veio do Ocidente.

Não foi por acaso nada de quem sou agora.
Em mim se cruzaram finalmente todos os lados da terra.


A Natureza e o Tempo me valeram:
séculos e séculos ansiosos por este resultado
um dia e até hoje fui sempre futuro.

Faço hoje a cidade do Antigo
e agora nasço novo como ao Princípio:
foi a Natureza que me guardou
a semente apesar das épocas e gerações.
Faço hoje a cidade do Antigo
e agora nasço novo como ao Princípio:
foi a Natureza que me guardou
a semente apesar das épocas e gerações.

Cheguei ao fim do fio da continuidade
e agora sou o que até ao fim fui desejo:
o Centro do Mundo já não é o meio da terra
vai por onde anda a Rosa dos Ventos
vai por onde ela vai anda por onde ela anda.

Agora chego a cada instante pela primeira vez
à vida já não sou um caso pessoal
mas sim a própria pessoa.

Texto de José de Almada Negreiros

Tela de Maria do Carmo da Hora
Postado por Véra Lúcia às 09:07 0 comentários
CIGANO GONÇALO...

Cigano Gonçalo
Seus adereços
Gonçalo usava na cabeça um lenço vermelho amarrado para o lado esquerdo.

Na orelha ele trazia uma pequena argola de ouro, e no pescoço, um cordão de ouro com uma medalha antiga de seu clã.

No dedo anelar da mão direita ele trazia um anel de ouro com um rubi cercado por vários brilhantes minúsculos.


Sua magia
Gonçalo gostava de fazer magia com as cartas de baralho para amarrar um casal.

Ele pegava as cartas valete e damas de ouros, colocando-as uma de frente para outra e amarrando-as com uma fita vermelha e uma amarela.

Em seguida, tirava a tampa de melão grande, com uma faca (choori) virgem, e dentro colocava as duas cartas amarradas, acrescentando um punhado de açúcar cristal.

Então, tampava o melão com o pedaço retirado e, em cima dele, espetava um espelho quadrado em pé.

Depois, levava essa magia para um bosque e entregava à força da natureza para fazer essa união.

Nenhum comentário:

Postar um comentário